Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Euro 2020: Hummels marca gol contra e Alemanha perde da França em estreia de recordes negativos

A seleção alemã jamais havia sido derrotada em estreia de Eurocopa - 8 vitórias e 4 empates -, mas a escrita caiu nesta terça-feira. Jogando na Allianz Arena, a equipe comandada por Joachim Löw perdeu da França por 1 a 0 em seu primeiro jogo da Euro 2020.

+ Clique aqui e confira a agenda de jogos completa da Alemanha

O próximo compromisso da Alemanha será no sábado, novamente em Munique, diante de Portugal. O duelo está marcado para 13h00. No mesmo dia pela manhã, a França pega a Hungria.

Portugal e França estão com três pontos, na ponta do grupo F, enquanto Alemanha e Hungria não pontuaram.

O técnico Joachim Löw manteve sua convicção de atuar com três zagueiros e escalou a Mannschaft desta maneira: Neuer, Ginter, Hummels e Rüdiger; Kimmich, Kroos, Gündogan e Gosens; Havertz, Müller e Gnabry.

Nesta formação, Gnabry ficou como referência no centro do ataque, com Müller e Havertz flutuando no meio de campo ofensivo.

Infelicidade histórica

A seleção alemã teve mais posse de bola, quase 60%, e presença ofensiva, sem muita efetividade. As duas principais chances foram em cabeçada de Müller, que saiu pela esquerda de Lloris, e depois numa finalização mascada de Gündogan, já dentro da área.

Os franceses apostaram principalmente na velocidade de Mbappé para chegarem com perigo. E o atacante exigiu excelente defesa de Manuel Neuer em chute no canto.

A França marcou aos 20 minutos. Pogba deu belo passe para Lucas Hernandez, que cruzou forte na pequena área e Hummels, na tentativa de cortar, acabou mandando contra o próprio patrimônio, no ângulo.

Foi o primeiro gol do contra da Alemanha em toda história da Eurocopa. Mais um recorde negativo.

2º tempo movimentado

A etapa final começou bem animada. Rabiot acertou a trave de Neuer em rápido contra-golpe francês e, na sequência, os alemães responderam com Gnabry, que recebeu cruzamento de Gosens e finalizou de primeira, raspando o travessão.

A Alemanha seguiu comandando as ações da partida e com muitas dificuldades para furar o bloqueio defensivo do rival. Gnabry e Havertz eram presas fáceis para os zagueiros da França.

Lá atrás, Mbappé continuou incomodando a defesa germânica e chegou a marcar um lindo gol, mas a arbitragem anulou o lance por impedimento. Aos 40 minutos, foi a vez de Benzema balançar as redes e o tento ser anulado por impedimento, de novo de Mbappé.

Mesmo com Sané, Volland e Werner em campo, a seleção alemã não teve forças e criatividade para buscar o empate.

Tags: Seleção Alemã, Alemanha, Euro 2020, Eurocopa, Mannschaft

7 comentários:

  1. Esse Joachin Low é muito complicado e não tem como entender as decisões que ele toma. Qual a finalidade de colocar dois jogadores aos 42 do segundo tempo com a seleção perdendo de um adversário forte como a França? Volland e Can já entraram no final do jogo e nada poderiam fazer. A impressão que passa é que a Alemanha vai passar vexame e perder os 3 jogos pois Low já não tem mais o que perder sendo o técnico da seleção.

    ResponderExcluir
  2. concordo com você Ronaldo, a impressão que a gente vê é essa , parece que vai ficar nisso mesmo,vai ser igual a 2018,só deu França no jogo é impressionante

    ResponderExcluir
  3. Acreditem! Futebol alemão mortinho da silva! Nas eleminatórias, 3º colocado, atrás de Armênia (líder do grupo) e Macedônia (só a do Norte)! Levou um baile da França! Vai ter que se lançar ao ataque contra o favorito Portugal, com medo dos contra-golpes do time luso, veloz em cima da zagueirada perna dura alemã e ainda com o vovô CR7, meu Deus! Hoje foi pouco, escapou de um vexame maior. A era Löw está acabando, faltam poucos dias, mas ficará um sabor amargo e azedo do chopp, pois ser novamente eliminado, num torneio oficial, meio que seguidamente, jogando em Munich e provavelmente com um 0x0 ou até um protocolar 2x0 Hungria (que, convenhamos, é uma seleção horrorosa tecnicamente!)... É ou não é o fim! A Alemanha virou aquela seleção "miss", ou seja, só pose, quando põem a bola no chão vira uma "bába"! Aliás, virou a bábamanha... Meus Deus, triste fim, para um futebol outrora glorioso!

    ResponderExcluir
  4. Ops, faltou completar. Gol contra, zagueirão, de canela na bola, ao melhor estilo germânico! Os alemãos são excelentes em quase tudo o que fazem, mas no futebol, assim aliás como a maioria dos europeus, quem joga bola é o Brasil, que consegue montar quantas seleções quiser, se beneficiando de um fator preponderante: Um craque em cada campinho de terra!!! Tem "terrão" na europa?

    ResponderExcluir
  5. Acho que a Mannschaft está muito próxima do mico final! Ser eliminada casa, numa Euro, com um provável chocolate do potente Portugal! Os patrocinadores pequenininhos alemães devem estar preocupados, decerto não achavam que a coisa estivesse tão feia! Seria bom aplicar o plano B, tal qual 14, colocar em campo o melhor jogador alemão (ainda), ou seja o (a) Merkel (camisa 9), pois se depender da cintura dura de dentro de campo, os latinos europeus vão humilhar os tetra-campeoes! É um vexame atrás do outro!

    ResponderExcluir
  6. Apenas para finalizar, acrescentando mais alguns elementos, a meu ver pertinentes ao momento da Mannschaft: 1- é um seleção nova em idade! Ou seja, para o futuro. Ok! Não se espera título agora. Mas um tetra mundial não teria que ter uma seleção madura sempre? 2- é inegável também a dificuldade alemã em dispor de um 11 que permita disputar ao menos o título. Vejam, a opção ontem de mudanças foram Werner e Volland, por exemplo! Meu Deus heim? E isto contrasta com um país de 80 milhões de habitantes, a Holanda e Portugal tem 10! A fora a necessidade de importações de jogadores, neste caso, não fora de contexto, pois a Itália tem 3 brasileiros no seu elenco! Srs, é inegável, eles tem dinheiro, jogadores de futebol, temos nós, o Brasil! Talvez o maior medo da FIFA, fosse que ela virasse a FIBA, onde os USA ganham tudo! Olhem, que se não fosse a política e os negócios, o Brasil seria os USA da FIFA! Dr. Sócrates falou isso certa vez e o Zico meio que concordou...

    ResponderExcluir
  7. A teimosia de Joachim "Louco" não é de agora. Na copa do mundo de 2010 , O brasileiro "Cacau" estava numa excelente fase , mas o técnico só colocava ele pra jogar , nos instantes finais da partida , quando já não dava mais tempo pra reagir e dando preferência a Mário Gomes ( Jogador muito limitado tecnicamente ). Na copa de 2018 foi a mesma teimosia , ele colocava Julian Brandt sempre no final da partida e ainda com a seleção perdendo e jogando ruim. Esse treinador é sádico e gosta de fazer os jogadores de otários colocando eles pra entrar em campo ,nos instantes finais das partidas. Esse esquema com 3 zagueiros não funciona nesse time pois os defensores são tecnicamente fracos e bizonhos. A sorte da Alemanha é que esse seboso vai deixar o comando do time por vontade própria ( A DFB ainda acredita que mesmo depois do fiasco da copa de 2018 e dos vexames na liga das nações 2018 e 2020 ele ainda pode conquistar algum troféu 🏆). Com Hans Flick no comando , a seleção alemã voltará a ser uma potência futebolística e será respeitada em todo mundo.

    .

    ResponderExcluir