Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Tranquilo, Joachim Löw rebate críticas recebidas na seleção alemã: "Isso não me afeta em nada"

A seleção alemã fez três jogos neste ano de 2020 e empatou os três, contra Espanha, Suíça e Turquia. E em todos eles, apresentando um futebol bem ruim, abaixo da média. E isso não é de agora. As atuações irregulares acontecem desde a Copa da Rússia, em 2018.

Clique aqui e confira a agenda completa de jogos da seleção da Alemanha

Por conta disso, o técnico Joachim Löw vem sendo bombardeado de críticas por parte de imprensa, torcedores e até personalidades do futebol alemão, como Lothar Matthäus. 

"Mais uma vez, os erros táticos de Jogi Löw custaram a vitória. Fico surpreso quando vejo que existem muitos jogadores na Alemanha como Nico Schulz, por exemplo, que são reservas em seus clube (no caso de Schulz, o Borussia Dortmund). É por isso que ninguém mais liga a televisão para ver os jogos", disse o ex-jogador em entrevista após o empate por 3 a 3 com a Turquia.

Löw foi questionado sobre as declarações de Matthäus e se mostrou bem tranquilo, sem se importar com a opinião do ídolo da Mannschaft.

"Para ser totalmente honesto, não li nada na imprensa nos últimos dois dias, porque realmente não me importo com quem diz o que", disparou o comandante da seleção alemã.

"Faço as coisas com a maior convicção. Quem eu convoco, quem eu deixo de convocar. Para tudo tem um motivo. Claro que existem críticas depois do empate contra a Turquia, posso entender. Mas isso não me afeta em nada. Estou há muito tempo na seleção, posso avaliar bem as situações. Acredite", completou Joachim Löw.

A chance de jogar bem e, enfim, vencer a primeira no ano é no sábado, contra a Ucrânia, em Kiev. O duelo é válido pela Liga das Nações, competição que a Alemanha ainda não conseguiu uma vitória sequer, desde a edição passada.

O técnico Joachim Löw decidiu cortar cinco jogadores para este duelo: Benjamin Henrichs (foto), Nico Schulz, Niklas Stark, Nadiem Amiri e Mahmoud Dahoud, que atuaram no amistoso contra a Turquia (empate por 3 a 3), não viajaram com o restante da delegação.

Em contrapartida, a Mannschaft terá reforços importantes: Toni Kroos, Timo Werner, Manuel Neuer, Leon Goretzka, Joshua Kimmich, Serge Gnabry, Marcel Halstenberg e Lukas Klostermann.

2 comentários:

  1. Na copa do mundo de 2018 Low fazia substituições já nos finais das partidas, quando não dava mais tempo de fazer nada. O Jogador Julian Brandt por exemplo, estava jogando um ótimo futebol, mas só entrava nos instantes finais e mesmo assim ainda deu 2 chutes perigosos e que bateram na trave nos jogos contra a Suécia e Coreia do Sul. Esse técnico vai se perpetuar no cargo.

    ResponderExcluir
  2. Löw é ídolo da Mannschaft, conquistou uma Copa do Mundo e entrou para a história, porém, está ultrapassado. Não só nas táticas mas também na leitura de jogo. A impressão que dá é que a análise de jogo dele é sempre mais lenta que as dos técnicos adversários e isso explicaria o tanto de vezes que a Alemanha começa na frente e termina o jogo tomando o empate e sofrendo para não perder. Tem que sair fora e dar lugar a outro técnico com novas ideias.

    ResponderExcluir