Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Saiba quem é o lateral alemão que está brilhando na sensação Atalanta. Ele já tentou jogar no Dortmund

Classificada às quartas de final da Champions League, onde vai encarar o PSG, a Atalanta é uma das grandes sensações do futebol europeu. Além da boa campanha na competição da Uefa, a equipe de Bérgamo é a vice-líder do Campeonato Italiano, atrás apenas da Juventus.

Após a pausa por conta da pandemia do coronavírus, o time azul e preto fez oito partidas na Itália, com sete vitórias e um empate - e o empate foi justamente contra a líder Juve, sofrido já nos acréscimos do segundo tempo.

Com um ataque poderoso e uma defesa sólida, um dos grandes destaques do clube é alemão e atende pelo nome de Robin Gosens. O lateral esquerdo de 26 anos de idade nasceu na cidade de Emmerich am Rhein, perto da fronteira com a Holanda.


Gosens não fez carreira na Alemanha. O mais perto que chegou de um clube grande em sua terra natal foi quando ainda era muito jovem, em um teste realizado no Borussia Dortmund. "Foi um fiasco. Não consegui acompanhar o pessoal", disse em entrevista recente ao T-online.de

Na Alemanha, o lateral jogou nas categorias de base do Fortuna Elten, FC Bocholt e VfL Rhede. Depois, conseguiu se firmar no Vitesse, da Holanda, onde se profissionalizou em 2014.

No futebol holandês, o lateral alemão de 1,83m ainda atuou por Dordrecht e Heracles Almelo, até se transferir para a Atalanta em 2017. O valor do negócio foi de apenas 1 milhão de euros - hoje o jogador tem valor de mercado estimado em 20 milhões de euros.

Seu contrato com o clube da Itália vai até o meio de 2022. Chelsea e Inter de Milão já estão de olho nele.


Como a Atalanta habitualmente é escalada no esquema 3-5-2 pelo técnico Gian Piero Gasperini, Gosens joga como um ala pela esquerda. Até por isso, consegue chegar muito bem ao ataque e já fez 9 gols em 29 jogos na temporada do Italiano. Na Champions, o atleta marcou um gol nos sete jogos que fez.

Forte na defesa e no ataque, Robin Gosens passa a ser candidato na seleção alemã de Joachim Löw, que está em busca de um nome para o lado esquerdo há tempos. O jogador, porém, também tem nacionalidade holandesa (é filho de mãe alemã com pai holandês) e pode defender a Laranja Mecânica caso seja solicitado.

Nenhum comentário