Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Fala, Rudi Völler: ex-atacante comenta sobre futebol alemão, carnaval, Leverkusen e muito mais

Por Euzébio Júnior (@euzebiojr04)

Confira entrevista com Rudi Völler, campeão mundial com a seleção alemã na Copa de 1990 e atual diretor esportivo do Bayer Leverkusen. Na conversa com o site RP-Online, o ex-atacante falou sobre o clube, trajes carnavalescos, futebol alemão e outros assuntos.

Confira abaixo:

RP-Online: Sr. Völler, você é uma das poucas pessoas que poderiam ir ao carnaval fantasiado de si mesmo. Mas o que você vestiria como alternativa?
Rudi Völler: Bom, quando eu acordo e cruzo os poucos cabelos que ainda tenho, há inegavelmente uma certa semelhança com Albert Einstein. Ou talvez com o Dr. Emmett Brown, do filme "De Volta ao Futuro". Então eu provavelmente iria como um desses dois. Mas não sou tão fã de carnaval.

Até onde o Bayer pode chegar com esse tipo de futebol? O Leverkusen já se despediu da copa nacional e internacional
Na Liga Europa, sabíamos que seria um confronto muito equilibrado. O Krasnodar é um clube como o RB Leipzig na Alemanha, que foi reinventado e tem possibilidades fantásticas para o futuro. Na DFB-Pokal, contra o Heidenheim, foi um jogo prejudicial. Poderíamos ter saído com a vitória, com todo o respeito ao adversário. Foram duas competições em que poderíamos ir muito longe. Temos de ver também nosso desempenho na Bundesliga. Esperamos conquistar muitos pontos nos próximos onze jogos e conseguirmos ficar pelo menos entre os seis primeiros. Depois da partida contra o Borussia Dortmund, juramos para nós mesmos que somos capazes de alcançar esse objetivo.


Julian Brandt e Kai Havertz estão atualmente formando um ótima dupla no meio-campo do Werkself. Ambos tem capacidade de ser figuras importantes para a seleção nacional na Eurocopa 2020?
É óbvio. Não há nada e ninguém que prove o oposto. Ambos, sem dúvida, têm classe e futebol para isso.

Segundo notícias, o Bayer Leverkusen quer prorrogar o contrato de Charles Aránguiz o quanto antes. Quão importante é o chileno para o clube e qual a sua opinião de que um acordo com o atleta seja acertado?
Charly é um futebolista maravilhoso. Ele provou isso muitas vezes com a gente. Nós estamos conversando com ele sobre uma possível renovação no contrato há algum tempo.

Há alguns meses, você falou abertamente que o fim de sua carreira no Bayer está próximo. Você cumprirá seu contrato, que é válido até 2022?
Independentemente da duração do contrato, o meu relacionamento com o clube, com a Bayer AG e com Werner Wenning, o presidente do conselho de supervisão, é muito bom. Estamos constantemente trocando ideias sobre como posso continuar prestando serviços ao clube. Não tem nada a ver com a duração do contrato.


Não é segredo que seu companheiro na direção no Bayer, Simon Rolfes, é um forte candidato para o ser o seu sucessor. O que o qualifica para ter esse status - e como Stefan Kießling atua dentro do clube?
Eu sempre expressei minha vontade de participar da nova geração do clube. É claro que Simon Rolfes tem tudo que precisa para se tornar meu sucessor. Com seu estilo calmo e objetivo, bem como sua mentalidade de futebol, ele pode elevar o status do clube futuramente. Stefan Kießling também está indo bem e está se desenvolvendo em seu novo trabalho - ele também pertence à nova geração.

O que diferencia o Völler da família do Völler funcionário - em outras palavras, há dois 'Rudi Völler'?
Se você tem a responsabilidade de dirigir um clube, nunca pode realmente se livrar do trabalho. Você está está sempre em serviço. Às vezes, isso é difícil para a família entender. Minha esposa também balança a cabeça negativamente quando eu me sento na frente da TV à noite e assisto a um jogo do campeonato. Mas é assim quando você ama futebol.

Um trabalho como especialista na TV não passa pela sua cabeça?
Já trabalhei em várias estações no passado. Claro que posso imaginar isso para o futuro, mas atualmente isso não é algo que eu penso muito.

O técnico da Alemanha, Joachim Löw, criticou recentemente os árbitros da Bundesliga. O que você acha sobre isso?
Nos jogos internacionais, você não vê muito tantos erros de arbitragem, porque os árbitros apitam diferente lá. Os jogadores sabem que não precisam ser atores para o juiz marcar falta. Também temos árbitros de topo na Bundesliga, mas na Champions League eles apitam de diferente forma. Lá eles correm mais e dão cartões com menor frequência.


O goleiro do Chelsea, Kepa Arrizabalaga, negou ser substituído na final da Copa da Liga Inglesa. Qual sua opinião sobre isso?
Parece até estúpido. O capitão ou outro jogador mais experiente deveria ter corrigido isso, intervir em campo. Ser capitão é mais do que apenas usar a bandagem na foto da equipe ou usar uma faixa no braço.

Confira os números da carreira de Rudi Völler como jogador:

Clubes: TSV Hanau, Kickers Offenbach, 1860 Munique, Werder Bremen, Roma, Olympique de Marselha e Bayer Leverkusen.

Jogos: 662 (232 na Bundesliga)

Gols: 313 (132 na Bundesliga)

Títulos:
Copa do Mundo (Alemanha) - 1990
Copa da Itália (AS Roma) - 1991
Champions League (Olympique Marseille) - 1993

*A matéria original, em alemão, foi realizada por Gianni Costa e Sebastian Bergmann

Nenhum comentário