Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Quarteto fantástico? Êxito do Bayer Leverkusen na temporada depende de quatro jovens talentos

Por Taynã Melo
@tainandemelo

Leon Bailey, Kai Havertz, Julian Brandt e Paulinho podem ser o diferencial nas competições disputadas pelo clube

Após um ano repleto de incertezas, inconsistência e pobre futebol, o Bayer Leverkusen ganhou uma interessante sobrevida e voltou a figurar no topo do futebol alemão. Embora as taças não vieram, o trabalho de Heiko Herrlich à frente do clube foi bastante elogiado, principalmente pelo uso, aprimoramento e desenvolvimento de jovens atletas. O tridente formado por Leon Bailey, Kai Havertz e Julian Brandt foi importante para o bom desempenho das Aspirinas na Bundesliga e na DFB-Pokal.

Graças ao trio, a velocidade no ataque, a instantaneidade em mudar o jogo e os gols marcados reforçaram a estratégia do jogo de Herrlich, composta por muita intensidade. O saldo de gols impediu que a equipe disputasse a Uefa Champions League, mas a vaga na Uefa Europa League ficou de excelente tamanho ao analisar todo o trabalho desempenhado ao longo de um ano. O Leverkusen teve o quarto melhor ataque do campeonato, a terceira maior média em passes acertados, a equipe que mais realizou cruzamentos em todo o Campeonato Alemão.


A situação fica ainda mais vistosa com a aquisição do brasileiro Paulinho. Revelado nas categorias de base do Vasco da Gama, o jogador de 19 anos tem muito talento e pode ser bastante útil nesta sua primeira temporada na Alemanha. Diante de todo esse cenário, o trio que colocou o Bayer nas cabeças pode virar um quarteto fantástico. Claro que a certeza virá em maio de 2019, quando a temporada for encerrada, mas os aspectos individuais de cada atleta podem deixar os torcedores leoninos e os admiradores do futebol alemão bem animados.

Leon Bailey


Uma das principais revelações do futebol alemão na última temporada, o jamaicano de 20 anos tem números espetaculares. Foi um dos principais jogadores do Bayer Leverkusen, principalmente por ser veloz, habilidoso e jogar bem pelas laterais. Tentou driblar em 166 oportunidades e levou a melhor em 77, com média de 30,8 arrancadas por jogo, com uma impressionante velocidade máxima de 34,7 km/h, semelhante a um dos maiores nomes do atletismo, o compatriota Usain Bolt.

Como complemento às boas estatísticas pessoais, marcou nove gols e deu sete assistências. Como a tendência é melhorar, o segundo ano na Bundesliga pode ser ainda mais espetacular para Bailey.

Julian Brandt


O fato de Brandt ter sido o escolhido por Joachim Löw para compor a lista dos 23 convocados da Alemanha para a disputa da Copa do Mundo na Rússia em vez de Leroy Sané mostra que o jogador tem características de jogo únicas  - ainda que a escolha do comandante da Mannschaft tenha causado muita controvérsia.

Independentemente dos critérios utilizados, Julian Brandt deu motivos para ser convocado. Assim como Bailey, marcou nove gols  -  apenas Kevin Volland foi mais goleador, com 14 tentos. Acertou 81,4% dos 1.094 passes tentados ao longo do ano, além de ocupar muito bem os espaços no campo e ter alta média de quilômetros percorridos dentro das quatro linhas.

Kai Havertz


Em 30 jogos, foram três gols marcados e oito assistências. Aos 19 anos, recebeu a medalha Fritz Walter, dada ao principal atleta jovem do futebol alemão. Em sua segunda temporada completa em uma equipe profissional, Kai Havertz é alto, rápido e técnico. Com 1,87 m de altura, levou a melhor em 86 das 188 disputas pelo alto na temporada. Mais presente na ponta, tem quase 20 quilômetros de distância percorrida por jogo. Com isso, apresentava bastante mobilidade para aproveitar mais as chances que apareciam ao longo das partidas.

Paulinho


O Bayer Leverkusen é um clube que sabe usar muito bem os atletas brasileiros. Desde Tita, campeão da atual Uefa Europa League em 1988, Zé Roberto, Lúcio e Emerson tem belo histórico no clube. Outro brasileiro que atualmente está no Bayer Leverkusen, o lateral-esquerdo Wendell, reforça esse aspecto. Com 18 anos recém-completos, o jogador se junta a um grupo formado por jovens atletas que são técnicos, habilidosos e que podem acrescentar bastante em seu desenvolvimento.

Veloz nos lados, certamente seu estilo de jogo é compatível com a estratégia de Haiko Herrlich. Nos amistosos da pré-temporada, o camisa 7 foi utilizado, o que pode indicar uma estreia no futebol europeu bem movimentada. Paulinho estreou com apenas 16 anos na equipe profissional do Vasco da Gama e tem seu nome cotado para estar no grupo que pode disputar a Copa do Mundo 2022 no Catar, onde novamente vai haver a busca do hexacampeonato mundial por parte da seleção brasileira.

Um comentário:

  1. Julian Brandt deveria ter sido melhor aproveitado na copa do mundo pois foi usado sempre nos instantes finais das partidas pelo teimoso Joachim Low.

    ResponderExcluir