Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Brasil 1-7 Alemanha: por onde andam os atletas alemães presentes no fatídico jogo?

Por Taynã Melo
@melonomatopaico

Quatro anos após a maior imposição de um vexame no território brasileiro, é inevitável as mudanças de clubes e patamares

A semana é decisiva para a Copa do Mundo 2018, disputada na Rússia. O maior país do planeta em extensão territorial realiza seus últimos jogos na principal festa do futebol com as semifinais, a disputa do terceiro lugar e a final. Os finalistas serão conhecidos e irão medir forças ao meio-dia do domingo (15).

Quatro anos atrás, o clima era o mesmo aqui no Brasil, mas a decisão já estava decidida. A Alemanha ia em busca do tetracampeonato mundial e da quarta vitória seguida sobre a Argentina em Mundiais. A história é conhecida. Mario Götze marcou no segundo tempo da prorrogação e deu o título aos alemães.


Porém, para conquistar a taça no Maracanã, a Alemanha superou o Brasil nas semifinais. O Mineirão foi palco do maior vexame do futebol brasileiro. Impiedosos e merecedores de tal feito, o fatídico 7 a 1 jamais será esquecido. Perguntar onde cada um dos torcedores estavam, o que faziam naquele instante e como reagiram ao placar final é comum.

Mas, quanto ao elenco alemão, onde estão agora? Ainda jogam? Permanecem em alto nível no futebol nacional e internacional? Veja abaixo, por posição, se a fase de cada atleta está tão boa quanto o hexacampeonato do Bayern de Munique, mediana quanto a permanência do Hannover 96 ou sombria como o Kaiserslautern.

Goleiros

Manuel Neuer


Um dos principais goleiros do mundo, Neuer hoje tem 32 anos e segue como arqueiro do Bayern de Munique, presente na maior parte dos seis títulos da Bundesliga conquistados de maneira consecutiva, algo nunca feito antes na história da Alemanha. Porém, a última de suas 79 aparições com a camisa Nationalelf foi o pior vexame do futebol teutônico, eliminado na primeira fase da Copa na Rússia de maneira inédita.

Ron-Robert Zieler


Hoje com 29 anos, Zieler se manteve na elite do futebol nacional. Mesmo com apenas seis convocações, o goleiro tem uma larga história no Hannover 96, passou uma temporada no Leicester e voltou à Alemanha para ser goleiro do Stuttgart e tem seu espaço destacado, titular no clube suábio.

Roman Weidenfeller


Um dos goleiros mais experientes e destacados do Século XXI no futebol alemão encerrou sua carreira profissional no último mês de maio, aos 37 anos de idade. Presente no elenco do Borussia Dortmund desde 2002, foram 349 jogos com a camisa aurinegra e cinco atuações na meta da Alemanha.

Defensores

Kevin Groβkreutz


Com 29 anos de idade, o jogador certamente foi o que mais caiu de rendimento após a Copa do Mundo. Quando convocado para o Mundial 2014, tinha uma boa experiência no Borussia Dortmund. Porém, problemas extracampo foram determinantes para impedir a manutenção do alto nível. Jogou no Stuttgart, onde participou da campanha que culminou no retorno dos suábios à Bundesliga, mas teve o contrato rescindido após uma briga em um bar. Na temporada passada, esteve no Darmstadt, onde não conseguiu voltar ao bom futebol. Dispensado, o atleta, que chegou a anunciar aposentadoria durante esse período conturbado, vai defender a camisa do KFC Uerdingen 05, da 3. Liga. Que fase!

Matthias Ginter


Com 24 anos, o jogador está desde a temporada passada no Borussia Mönchengladbach, depois de três anos no Borussia Dortmund. Figura presente na seleção desde as categorias de base, permaneceu como um dos nomes lembrados por Joachim Löw e esteve na Rússia, mas não atuou em nenhum momento na campanha vexatória.

Benedikt Höwedes


A história do defensor de 30 anos de idade está intrinsecamente ligada ao Schalke 04. Na equipe principal dos Azuis Reais, são 240 jogos. Na temporada passada, foi emprestado à Juventus, mas pouco jogou. Presente em todas as categorias de base da Alemanha, participou efetivamente da conquista do tetracampeonato mundial ao atuar em todos os minutos das sete partidas. Porém, a queda de rendimento no clube foi predominante para a não convocação na Copa 2018, uma vez que Jonas Hector e Marvin Plattenhardt estavam mais destacados.

Mats Hummels


Começou a carreira no Bayern de Munique, foi negociado ao Borussia Dortmund por não ter espaço nos bávaros. Oito anos depois, voltou à Baviera e conquistou duas Bundesliga e duas DFL-Supercup. Titular absoluto na zaga da Alemanha, tem 66 partidas. Assim como toda a seleção, foi um fiasco na Rússia.

Erik Durm


Desde 2012 no Borussia Dortmund, o atleta de 26 anos. Esteve presente no elenco do tetra, mas não entrou em campo. Tem sete convocações. Na última temporada, praticamente não jogou após uma séria lesão que o impediu praticamente de atuar o ano inteiro. Tem contrato por mais um ano com a equipe aurinegra.

Philipp Lahm (C)


Capitão e lendário lateral-direito do Bayern de Munique e da seleção da Alemanha, o jogador está aposentado há pouco mais de um ano. Tem 113 jogos com a camisa da Mannschaft e cinco tentos assinalados. Hoje tem 34 anos de idade.

Per Mertesacker


Aos 33 anos, o jogador encerrou a carreira no futebol profissional há dois meses. Atuou no Hannover 96, no Werder Bremen e no Arsenal em quase 400 partidas. Em uma década na categoria principal da seleção alemã, atuou em 104 partidas e marcou quatro vezes.

Jérôme Boateng


Aos 29 anos, o zagueiro é titular do Bayern de Munique e da seleção alemã. Desde 2011 na Baviera, é um dos atletas mais vencedores da equipe. Na Mannschaft, fez parte de todas as categorias de base e está desde 2009 no time principal, com 73 jogos. Recebeu duras críticas por causa da eliminação diante da Coreia do Sul.

Shkodran Mustafi


Aos 26 anos, Mustafi tem 20 convocações e dois gols marcados e, assim como outros nomes do elenco tetracampeão, está desde a adolescência na seleção. Conquistou a Copa do Mundo em 2014 e a Copa das Confederações 2017, participou da Eurocopa em 2016, mas não foi convocado para a Copa 2018. Atualmente joga no Arsenal.

Meio-campistas

Sami Khedira


Ultimamente marcado pelas lesões, Khedira foi um dos principais atletas apontados como responsáveis pela péssima campanha em 2018. Aos 31 anos, o meio-campista da Juventus seguiu como um dos atletas citados como pilares e mediadores entre os mais experientes e os mais jovens. São 77 gols e sete gols marcados.

Bastian Schweinsteiger


Aos 33 anos, um dos principais jogadores da história do futebol alemão encerrou sua trajetória na Mannschaft após a disputa da Eurocopa em 2016. Desde 2004 na seleção, foram 121 partidas e 24 gols. Atualmente, o jogador veste a camisa do Chicago Fire, e disputa a Major League Soccer (MLS).

Mesut Özil


Assim como Khedira, Özil foi um dos jogadores mais criticados pelo horrendo desempenho em campo durante os minutos que esteve em campo na fase de grupos em solo russo. Aos 29 anos, o atleta nascido em Gelsenkirchen permanece como um dos principais jogadores do Arsenal, como era há quatro anos. Já são 92 partidas na Alemanha e 23 gols marcados. Antes da disputa do Mundial 2018, ficou marcado por uma polêmica ao tirar foto com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan. Alguns torcedores e ex-jogadores chegaram até a pedir o corte dos convocados por abalar as relações diplomáticas. Mas permaneceu na equipe e esteve modorrento todo o tempo.

Julian Draxler


Draxler começou a aparecer mais nos últimos dois anos, mas ele esteve presente na delegação do tetracampeonato, quando tinha apenas 20 anos. Hoje com 24, Draxler teve um salto muito importante na carreira ao deixar o Schalke 04 e se transferir ao Wolfsburg. Dois anos depois, o jogador mudou para o Paris Saint-Germain. Na Seleção da Alemanha, são 46 jogos, seis gols marcados, títulos da Copa do Mundo 2014 e Copa das Confederações 2017, além de estar na equipe que disputou a Eurocopa em 2016 e na Copa do Mundo 2018, onde atuou timidamente.

Toni Kroos


Aos 28 anos, o atleta nascido na extinta Alemanha Oriental é um dos principais nomes do futebol alemão na atualidade. Com três títulos da Uefa Champions League e indicações pessoais pelo clube e pela seleção às melhores menções do futebol mundial, Kroos se tornou um discípulo de Schweinsteiger, embora tenha atuado junto com o atual atleta do Chicago Fire. Desde 2005 nas categorias de base da seleção, disputou a terceira Copa do Mundo. Sempre ativo na troca de passes e nas finalizações, marcou um golaço no duelo contra a Suécia aos 50 minutos do segundo tempo, que mantiveram vivas as chances de classificação germânicas, que nada adiantou. São 86 jogos e 13 gols marcados.

Mario Götze


Götze se tornou um jogador histórico por entrar na parte final da decisão contra a Argentina e marcar o gol que deu o tetracampeonato mundial à Alemanha. Porém, o jogador viveu oscilantes quatro anos após o feito. Apesar dos 26 anos de idade, o jogador saiu do Borussia Dortmund rumo ao Bayern de Munique às vésperas da decisão da Uefa Champions League 2013 – que envolvia as duas equipes – e retornou ao clube aurinegro pelo baixo rendimento na Baviera. Foi diagnosticado um problema crônico em seu metabolismo e, aos poucos, a perspectiva é de considerável melhora e participação mais efetiva na temporada do BVB.

Christoph Kramer


Kramer foi relacionado à lista de 23 jogadores que representaram a Alemanha na Copa 2014 com apenas duas convocações. Jogador do Borussia Mönchengladbach na época, Kramer foi escalado como titular na final contra a Argentina por causa da lesão inesperada de Sami Khedira. Porém, saiu ainda no primeiro tempo após ficar desacordado em campo depois de sofrer um choque na cabeça. O jogador relata que não se lembra de nada do que ocorreu naquele dia por causa da pancada sofrida. Tem 12 convocações ao todo e, aos 27 anos de idade, permanece nos Potros.

Atacantes

André Schürrle


Aos 27 anos, Schürrle já passou por Mainz 05, Bayer Leverkusen, Chelsea, Wolfsburg e Borussia Dortmund, onde joga desde 2006. Ultimamente sofreu com lesões que prejudicaram em seu andamento nas temporadas com a camisa aurinegra. Na Seleção, é convocado desde a equipe Sub-19. Após o processo de acolher jovens talentos e promissores no país a partir do segundo semestre de 2010, Schürrle ganhou espaço no time principal. São 57 convocações e 22 gols marcados. Não atuou nas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo por causa dos problemas físicos que culminaram na curva descendente de seu potencial futebolístico.

Lukas Podolski


Nascido na Polônia, começou a chamar atenção no começo do Século XXI por causa do chute forte e preciso com o pé esquerdo, o que favoreceu em seu desempenho no ataque e, consequentemente, nos gols marcados pelos clubes e pela Seleção. Aos 33 anos, anunciou aposentadoria da Mannschaft em março de 2017, em um amistoso disputado contra a Inglaterra. É o jogador a marcar o gol mais rápido da história da Seleção – nove segundos no amistoso contra o Equador, vencido por 4 a 2. Além disso, é o terceiro maior goleador, com 49 gols marcados, e o terceiro atleta mais convocado na história, com 130 partidas. Atualmente joga no Vissel Kobe-JAP, clube que recebe o meia espanhol Andrés Iniesta como principal reforço para a temporada.

Miroslav Klose


O maior artilheiro da Copa do Mundo. Apenas essa descrição já coloca Miroslav Klose entre os principais nomes do futebol europeu. Também nascido na Polônia, o jogador marcou 17 gols em Mundiais, esteve presente nas Copas de 2002, 2006, 2010 e 2014 e atuou dentro dos gramados até 2016, quando se aposentou na Lazio. Na Seleção, foram 71 gols em 131 jogos. Após sua aposentadoria, fez parte da equipe técnica da Mannschaft. Após a disputa do Mundial na Rússia, assumiu o comando do Sub-17 do Bayern de Munique.

Thomas Müller


Thomas Müller jogou apenas em duas equipes ao longo de sua carreira: Bayern de Munique e Seleção da Alemanha. O atacante de 28 anos tem 94 aparições como selecionável e 38 gols assinalados. Com dez tentos marcados nas Copas de 2010 e 2014, era uma esperança de gols na Rússia. Porém, o desempenho do Bayern abaixo da média na última temporada foi visto também na Copa. Nenhum gol, atuação discreta e chuva de críticas.

Técnico

Joachim Löw


Apesar do fiasco em 2018 ao estar à frente do banco de reservas no maior vexame da história gloriosa da Seleção da Alemanha, foi mantido no cargo pelos gestores e mandatários graças aos bons resultados obtidos em competições anteriores e pelo trabalho de 12 anos realizados na equipe. Com contrato até o Mundial de 2022 no Qatar, Löw tem a missão de apagar as últimas impressões e reconduzir a Alemanha ao topo do futebol europeu e mundial.

Ficha técnica
Brasil 1-7 Alemanha

Brasil – Júlio César; Maicon, David Luiz, Dante e Marcelo; Luiz Gustavo e Fernandinho (Paulinho, 46’); Hulk (Ramires, 46’), Oscar e Bernard; Fred (Willian, 70’). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Alemanha – Manuel Neuer; Philipp Lahm, Hummels (Mertesacker, 46’), Jérôme Boateng e Höwedes; Sami Khedira (Draxler, 76’) e Schweinsteiger; Thomas Müller, Toni Kroos e Özil; Klose (Schürrle, 56’). Técnico: Joachim Löw.

Gols:

Thomas Müller (0-1, 11’), Klose (0-2, 23’), Toni Kroos (0-3, 24’ – 0-4, 26’), Sami Khedira (0-5, 29’), Schürrle (0-6, 69’ – 0-7, 79’) e Oscar (1-7, 90’).

Arbitragem: Marco Rodríguez (MEX), auxiliado por Marvin Torrentera (MEX) e Marcos Quintero (MEX)

Cartão: Dante (68’)

2 comentários:

  1. Excelente material, muito interessante as informações colocadas, evidenciando que em apenas 4 anos algumas situações mudam drasticamente e outras permanecem quase que inalteradas e mais ainda, de que o degrau entre o "céu e o inferno" é bem baixinho - o que faz alguns "grandalhões" tropeçarem e caírem bisonhamente... Mas tudo bem, o importante é levantar e voltar a caminhar no rumo certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado pelo bom retorno e espero que tenha aproveitado mesmo o material. o mundo do futebol é um ciclo que muda rapidamente e deve haver muita dedicação pra permanecer nas cabeças o máximo possível. saudações!

      Excluir