Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Mata-mata é a solução para deixar a Bundesliga mais competitiva e atrativa?

O Bayern de Munique tem 18 pontos de vantagem em relação ao vice-líder Bayer Leverkusen na atual temporada da Bundesliga (53 a 35) e o seu sexto título consecutivo é uma questão de tempo, restando saber apenas com quantas rodadas de antecedência isso vai acontecer.

Essa hegemonia bávara dos últimos anos - e também da história, uma vez que o clube de Munique é disparado o maior vencedor da competição - vem deixando os admiradores do futebol alemão bastante preocupados. Estaria a Bundesliga caminhando para o tédio?


O diário alemão Bild levantou essa questão e deu uma sugestão para tentar "salvar" o Campeonato Alemão do marasmo: introduzir o mata-mata!

A publicação cita outros campeonatos nacionais que possuem esquema de playoffs na fase final, como a MLS nos Estados Unidos, a Bundesliga austríaca e o Campeonato Belga, por exemplo. Na Alemanha, a ideia seria classificar os quatro melhores times após as 34 rodadas para uma eventual semifinal, aumentando, assim, as chances de tentar superar o Bayern.

O líder enfrentaria o quarto da tabela, enquanto segundo e terceiro colocados duelariam na outra semi. Os dois vencedores jogariam a final, em duelos de ida e volta.

O ex-jogador Stefan Effenberg (foto), três vezes campeão alemão pelo Bayern de Munique, disse que apoiaria uma mudança nesse sentido. "Eu sou da opinião de que algo deve acontecer de novo na Bundesliga. A emoção voltaria, assim como a atratividade do campeonato", comentou.

Essa ideia, porém, não foi muito bem aceita entre as pessoas envolvidas no Campeonato Alemão, como dirigentes, técnicos e jogadores. O Bild questionou alguns personagens e quase todos foram contra a introdução do mata-mata na competição. Apenas o defensor Martin Hinteregger, do Augsburg, disse que é a favor: "Eu acho interessante o formato de playoff", avaliou.

Já Ralf Rangnick, diretor do RB Leipzig, nem pensa em playoffs: "A Bundesliga tem sido uma história de sucesso desde 1963 e não deve ser alterada". Mesma opinião tem Armin Veh, dirigente do Colônia: "Rejeito categoricamente o mata-mata para a Bundesliga. O modelo atual é muito interessante e bem sucedido".

Para o atacante Kalou, do Hertha Berlim, nada mudaria com essa alteração: "Eu não acho que isso seria mais emocionante. Mesmo com mata-mata, o Bayern seria o campeão no final das contas". Ex-jogador do Bayer Leverkusen, Simon Rolfes também deu seu pitaco: "Seria injusto para um time que tenha ficado na liderança após 34 rodadas colocar em risco seu título em playoffs".

E você, caro leitor? Aprovaria essa ideia de mata-mata na Bundesliga? Lembrando que o Campeonato Brasileiro usava esse modelo até 2002, classificando os oito primeiros colocados para a fase final após apenas um turno. Só a partir de 2003 é que o Brasileirão passou a ser somente em pontos corridos.

Um comentário:

  1. eu dei essa ideia na página do face do trivela:

    Uma coisa que poderia ser feita inclusive com os clubes para a liga dos campeões é aumentar o número de inscrições de jovens e jogadores formados na base do clube dependendendo do desempenho na liga dos campeões. por exemplo: as equipes entram no torneio com 29 jogadores inscritos, desses 5 precisam ser jovens de até 21 anos, 5 formados na base do clube e outros 5 formados no próprio país. Na medida em que os clubes avançam na liga dos campeões para a próxima temporada eles tem que aumentar essas inscrições. sendo obrigados a se desfazerem dos outros jogadores, por exemplo, quem chega nas oitavas de final, se voltar a se classsficar para a liga dos campeões teria a obrigação de inscrever 6 jogadores formados no país, quem chega as quartas 6 formados no páis e 6 formados no clube, e quem chega as semifinais e finais 6 formados no país, 6 formados no clube e 6 jovens de até 21 anos. E essas inscrições seriam cumulativas, com o passar dos anos, assim por exemplo o Real Madrid que chegou a 3(se não me engano) semi-finais, teria de ter para essa liga dos campeões 7 formados na base do clube, 7 formados no país e 7 jovens de 21 anos. asim os jovens teriam mais chances de aparecer, os clubes cuidariam melhor da suas crias da base, o dinhiero circularia melhor pelo país, e veriamos outros clubes chegando nas fases finais do torneio, e os jogadores incritos para as competições internacionais tem de ser os mesmos para o campeonatos nacionais. Assim também não haveria necessidade dessa questão do fair-play financeiro que não tem um pleno funcionamento. Mesmo os gigantes teriam uma entre safra ruim em alguns periodos e poderiamos ver outros clubes vencendo outros torneios. poderiam adaptar essa regra para os campeonatos nacionais como um todo

    ResponderExcluir