Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Era Hansi Flick na seleção alemã começa com vitória fora de casa pelas Eliminatórias da Copa 2022

A era Hansi Flick na seleção alemã começou nesta quarta-feira. E começou com vitória por 2 a 0 sobre Liechtenstein, em jogo válido pelo grupo J das Eliminatórias para Copa do Mundo de 2022.

Com o triunfo na cidade de St. Gallen, na Suíça, a Alemanha foi aos 9 pontos dentro da chave, na segunda colocação, atrás da Armênia, que tem 10. Lembrando que apenas o primeiro colocado garante vaga direta na Copa 2022.

E o próximo jogo é justamente diante dos armênios, no domingo (10), na Mercedes Benz Arena, em Stuttgart.

Com Manuel Neuer e Thomas Müller se recuperando de lesão, a primeira escalação de Flick foi essa, no esquema 4-2-3-1: Leno, Baku, Kehrer, Süle e Gosens; Kimmich e Gündogan; Havertz, Musiala e Sané; Werner.

No segundo tempo entraram Jonas Hofmann, Marco Reus, Gnabry, Goretzka e Wirtz.

Ataque contra defesa

Como não poderia ser diferente, a Alemanha dominou o jogo. Só no primeiro tempo, a Mannschaft teve nada menos que 80% de posse de bola, praticamente não deixando o adversário jogar.

Apesar de manter sempre a bola, o time teve dificuldades para penetrar na defesa de Liechtenstein, que ficou com todos os jogadores na entrada da área e congestionou tudo por ali.

Foram muitos os cruzamentos. Em um deles, Gosens acertou boa cabeçada na trave. 

O primeiro gol saiu como tinha que ser, no talento individual. Musiala fez grande jogada pela meia esquerda e deu assistência para Timo Werner, que passou pela marcação e mandou por entre as pernas do goleiro Büchel.

Chances e mais chances

Na etapa final, o jogo seguiu na mesma toada. Alemanha sufocando Liechtenstein no campo de defesa, mas, dessa vez, criando oportunidades.

O arqueiro Büchel fez duas excelentes defesas em finalizações de Goses e Gündogan. Depois, Sané teve a chance de marcar usando a cabeça, assim como Kahrer.

As entradas de Reus, Hofmann e Gnabry deram mais alternativas à Mannschaft. E de tanto insistir, saiu o segundo gol. Aos 32 minutos, Goretzka encontrou Sané, que girou sobre a marcação na área e bateu cruzado, no canto.

Sem forçar muito na reta final, a Alemanha só tocou a bola no campo de ataque para não se desgastar. No fim, a posse de bola alemã foi de 82%.

Tags: Seleção Alemã, Alemanha, Mannschaft, Hansi Flick, Eliminatórias da Copa

3 comentários:

  1. Alemanha mau, teve dificuldades de fazer gols numa seleção praticamente amadora, com jogadores pertencentes a clubes fracos da Europa. Preocupante, gols nos períodos finais do jogo, poderia ter ficado 1x0 só e já imaginaram um espetacular 1x1? Teve margem pra isso, na medida que o 2x0 chegou somente mais pro final do jogo e imaginar que neste confronto já houve um 12 ou 13x0! O treinador atual não tem um histórico como técnico e há jogadores fracos na seleção atual! A Mannschaft não é líder de um grupo fraco nas eliminatórias e fará no domingo uma decisão, pasmem, contra a Armênia, menos mau, em tese, que o jogo é em casa, mas mesmo assim o momento atual requer cautela, não será surpresa, ao menos pra mim, um resultado negativo, que será catastrófico! A Alemanha, em termos esportivos em geral, está vivendo seu "inferno astral", vide a recém concluída Tokio 21, onde foi um mico atrás do outro, e no final o constrangimento de ficar atrás da Holanda no quadro de medalhas! E no caso do futebol este jogo pífio contra uma seleção semi-amadora! A Alemanha vai mau, o barquinho tá afundando, não se surpreendam com a Mannschaft fora do Quatar 22, vide Itália 18, impossível não é, e o momento sugere este mico dos micos, aliás, seria mais um dentre os que vem se apresentando, é só olhar pro pós 2014!

    ResponderExcluir
  2. Um técnico que não é treinador... jogadores fracos e sem muita vontade de jogar pela seleção, uma apatia geral, que vem se arrastando! Tudo leva a crer que a outrora poderosa Mannschaft (há controvérsias!) perdeu o rumo e virou uma seleção intermediária (uma Hungria da vida, com passado, mas sem presente e pior, com futuro sombrio... Acho que domingo, contra a poderosa Armênia e depois contra a Islândia, vai acabar sobrando pro Flick! Tadinho, já sobrou pra ele o abacaxi do péssimo momento, o anti-clímax do desporto alemão, como um todo e agora mais esta, ter que encarar, logo no começo da carreira de selecionador nacional, um pepino deste! Hoje Armênia, Islândia e Macedônia, a fora o próprio Liechtenstein, dão trabalho e pior, podem tirar os "stern vier" de uma copa do mundo! E podem mesmo! É, não está fácil a vida alemã...

    ResponderExcluir
  3. Só vejo com vontade de vencer o Kimmich, Neuer e Gosens... o resto... mds

    ResponderExcluir