Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Ex-goleiro alemão, René Adler desenvolve "Tinder" para jogadores de futebol; entenda

Aposentado do futebol desde 2019, quando defendeu o Mainz, o ex-goleiro alemão René Adler vem se arriscando no mundo do empreendedorismo e desenvolveu o aplicativo chamado "11TransFAIR", disponível para Android e iOS.

+ Clique aqui e leia mais notícia sobre negócios no futebol alemão

Apesar de qualquer pessoa conseguir baixar o app, ele pode ser usado apenas por jogadores e clubes de futebol.

"Eu chamo isso de Tinder para jogadores de futebol e clubes, porque vamos reunir as duas partes por meio da correspondência online", explicou Adler ao Bild.

A ideia do ex-jogador é que os atletas profissionais possam assumir o controle de suas ações dentro do esporte, dependendo cada vez menos de agentes, empresários ou intermediários em negociações.

"É óbvio que os jogadores querem cuidar cada vez mais de suas próprias preocupações e não querem mais depender completamente do trabalho de seus conselheiros", disse.

"Nem todo profissional pode fazer isso como fazem alguns jogadores, como Joshua Kimmich ou Kevin De Bruyne, que agora negociam diretamente, escolhendo as ofertas que quiserem", continuou Adler.

Como funciona

René Adler disse na entrevista ao Bild que é uma espécie de "Tinder", aplicativo usado principalmente para relacionamentos pessoais, paquera e namoro. O 11TransFAIR é basicamente profissional.

O aplicativo é voltado principalmente para jogadores das quatro primeiras divisões alemãs, da Bundesliga à Regionalliga, mas atletas de várias ligas estrangeiras também podem se registrar.

Os profissionais se logam no aplicativo com sua documentação e, se necessário, será feita uma chamada de vídeo para que sua identidade seja verificada.

Usando vários parâmetros, eles podem criar seu perfil com exigência salarial, taxa de transferência, características de seu estilo de jogo, autoavaliação e muito mais. Um algoritmo também inclui, automaticamente, vários dados e estatísticas de desempenho do jogador.

"Os jogadores podem citar no máximo quatro de uma lista de até 20 propriedades", disse Adler.

Os clubes também podem se cadastrar e buscar jogadores. Usando esses algoritmos, o time recebe sugestões de atletas que esteja precisando.

"Estamos tentando dar ao jogador opções de transferência adicionais além da rede existente. Queremos trazer transparência para um mercado não transparente", comentou o ex-goleiro.

"Para que um jogador possa escolher não só entre o Lübeck e o Meppen (clubes menores da Alemanha), mas talvez entre um clube húngaro e um australiano, por exemplo. Eles devem encontrar suas melhores opções para carreira", avaliou.

Jogadores e clubes são inicialmente anônimos no aplicativo. Se houver o famoso "match", será mostrado um percentual dentro da necessidade.

O "deslizar" no Tinder, aplicativo de namoro, é chamado de "chute" no 11TransFair. Os participantes podem sinalizar seu interesse com um botão verde. Se isso acontecer dos dois lados, as identidades se tornam visíveis para ambos e as negociações podem começar. 

"Assim, as partes controlam seus próprios dados e conversas. A discrição é muito importante para nós", comentou Adler.

"Muitas coisas ainda são analógicas no futebol, mas isso também mudou nos últimos anos com uma geração que pensa cada vez mais digitalmente", finalizou o empreendedor e ex-jogador.

René Adler está com 36 anos de idade e pendurou as chuteiras em 2019, no Mainz. Antes, fez sucesso com as camisas de Bayer Leverkusen e Hamburgo. Pela seleção alemã, fez 12 partidas. Sua carreira foi marcada pelas muitas lesões - uma delas o tirou da Copa do Mundo de 2010, quando era titular da Alemanha.

Tags: Bundesliga, Alemanha, Negócios, Seleção Alemã, Bayer Leverkusen, Mainz, Campeonato Alemão, Tinder, App

Nenhum comentário