Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Ex-camisa 10 holandês do Bayern de Munique garante: “Hoje eu valeria 100 milhões de euros”

Por Carlos Eduardo Schön
@cadado_schon

Ele é holandês, vestia a camisa 10 do Bayern de Munique e adorava balançar as redes adversárias. Se você estiver achando que estamos falando de Robben, está bem enganado. O jogador em questão é Roy Makaay - ex-atacante que teve muito sucesso no Deportivo La Coruña com Djalminha e uma carreira gloriosa pelo Bayern.

Em entrevista nesta semana para o site Transfermarkt, o artilheiro comentou sobre vários assuntos, sobretudo deu uma importante declaração, na qual valeria mais de 100 milhões de euros se estivesse atuando nos tempos atuais.

Vale lembrar que "O Phantom" chegou ao clube finalista da atual edição da Champions League no ano de 2003 e com grande status: era o último ganhador da chuteira de ouro europeia. 
“É difícil de dizer, mas o Bayern me contratou na época como o maior fazedor de gols da Europa. Se eu me visse com os preços de hoje, valeria certamente 100 milhões de euros”.

Contratado pelos bávaros no ano de 2003 por 20 milhões de euros - um recorde que durou de 2003 até 2007 -, Makaay bateu outra interessante marca com o colosso alemão que dura até os dias de hoje: no dia 7 de março de 2007, o jogador marcou nas oitavas de final contra o Real Madrid o gol mais rápido da história da Champions League: em incríveis 10,12 segundos. 
“É claro que essa é uma marca bonita. O mais importante, porém, foi que por meio dela pudemos avançar de fase. Apesar de não ter ganhado nenhum troféu ou reconhecimento pelo feito, continua sendo engraçado ouvir isso”.

Perguntado, ironicamente, se acompanha atentamente os 10,12 primeiros segundos de todas as partidas da Champions League, o holandês foi enfático. “Quando eu vejo uma partida de futebol, eu faço isso como um fã. Eu não penso no meu recorde”.

Importante ressaltar que Roy Makaay tem números incríveis pelo clube: em 183 jogos, o atacante marcou 103 gols e deu 35 assistências. Viria a ser negociado com o Feyenoord em 2007/08, temporada essa em que chegaram o italiano Luca Toni, além da lenda francesa Franck Ribéry (contratado por 25 milhões e responsável por bater o recorde de transferência anterior do holandês). 

Nenhum comentário