Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Seleção da das oitavas de final da Euro 2016 - Chucrute FC / Alemanha FC



Goleiro: Gianluigi Buffon (Itália)
A Itália fez excelente partida contra a Espanha e o experiente goleiro da Juventus não foi exceção. Além de ser um líder em campo, não permitiu que a Espanha chegasse ao empate quando o jogo ainda estava 1x0. Foi um total de cinco defesas, incluindo cabeçada a queima-roupa de Pique e chute de longa distância de Iniesta.

Zagueiros: Jérôme Boateng (Alemanha), Ragnar Sigurdsson (Islândia) e Giorgio Chiellini (Itália)
O golaço ao chutar a bola de primeira e abrir o caminho dos alemães para a boa vitória sobre a Eslováquia já seria suficiente para colocar Boateng nesta seleção. Não bastasse isso, o jogador ainda esteve seguro durante os 71 minutos que esteve em campo e foi peça fundamental para a Alemanha sair de campo sem sofrer qualquer gol.

Outro zagueiro que foi decisivo tanto ofensivamente quanto defensivamente foi Sigurdson. Ele fez o gol de empate da surpreendente Islândia contra os Ingleses e não me permitiu qualquer chance ao ataque dos three lions. Foram cinco desarmes e 80% de divididas vencidas.

Se a Itália hoje está nas quartas-de-final da Eurocopa, deve em grande parte a Chiellini. Aproveitou a chance que teve em rebote de De Gea para deixar o seu gol e liderou a zaga italiana contra o poderoso ataque espanhol.  No total foram cinco desarmes e um chute bloqueado.

Meio de campo: Eden Hazard (Bélgica), Kevin de Bruyne (Bélgica)
Finalmente a “promissora geração belga” acordou na competição. A vitória sobre a Hungria veio principalmente devido a uma atuação muito boa de Hazard e de Bruyne. O jogador do Chelsea foi essencial com um belo gol em jogada individual além de uma assistência.

O meia do Manchester City foi perigoso o jogo inteiro, chutando 7 vezes ao gol adversário e estando presentes em todos os lugares do campo de ataque. Foi coroado com uma assistência para o primeiro gol.

Ponta esquerda: Julian Draxler (Alemanha)
Depois de ter ficado no banco contra a Irlanda do Norte, a volta de Draxler não poderia ter sido melhor. Uma assistência, um gol e um “inferno constante” para a zaga eslovaca renderam ao meia do Wolfsburg o prêmio de melhor jogador da partida de maneira quase unânime.

Ponta direita: Xherdan Shaqiri (Suiça)
A Suiça não se classificou para as quartas-de-final, mas isso não impediu Shaqiri de fazer uma partida sensacional, sendo o principal articulador de jogadas da seleção suíça. A cereja do bolo, no entanto, foi o belo gol de voleio que para muitos é o gol mais bonito da competição até aqui.

Ataque: Graziano Pelle (Itália), Mario Gomez (Alemanha) e Antoine Grienzmann (França)
Pelle mais uma vez foi decisivo ao marcar o gol que acabou com qualquer chance de classificação espanhola. O atacante da Azurra lutou o jogo inteiro e contribuiu até mesmo na primeira linha de marcação.

Mario Gomez voltou a ser titular da Alemanha, sendo um ótimo atacante de referência e participando em tabelas com quem vinha da linha de trás. Fez um gol típico de centroavante e ainda sofreu em pênalti, que acabou não sendo convertido.

A França estava sendo eliminada da Eurocopa até Grienzmann aparecer. O atacante fez dois gols e um espaço de três minutos e virou o jogo para a seleção anfitriã, tranquilizando um jogo bastante complicado. Além dos gols, o jogador do Atlético de Madrid finalizou outras 4 vezes, sendo 3 no gol.

Nenhum comentário