Ad Home

Últimas

teste de anúncio

Joachim Löw fica na seleção alemã e encerra especulações sobre sua saída



Assim que a Alemanha foi eliminada da Eurocopa na semifinal diante da França, muito se falou sobre uma possível saída do técnico Joachim Löw, que tem contrato com a Mannschaft até o fim da Copa do Mundo de 2018. Mas, nesta terça-feira, as especulações acabaram: ele fica!

Confira a agenda completa da seleção alemã

"Um torneio é sempre desgastante, gastamos muita energia antes e durante a competição. Obviamente que todos estamos desapontado com a derrota na semi, mas tive alguns dias de descanso e decidi que tenho condições de levar o time ao título da Copa de 2018. Apesar da nossa decepção com o resultado, a equipe não decepcionou dentro de campo, eram jogadores jovens, ainda vejo um grande potencial. Estou certo de que terei muito prazer na seleção, com a alegria em alta", disse Löw.

Nos dias seguintes à queda da seleção alemã, o comandante ficou isolado em sua casa na cidade de Berlim e pensou bastante sobre a continuidade à frente da equipe. O presidente da DFB (Federação Alemã), Reinhard Grindel, admitiu que conversou com o comandante e também anunciou sua permanência até o fim do vínculo.

"Para nós, era uma questão de respeito para manter Joachim Löw depois de um torneio tão intenso e de alguns dias de descanso para que ele pudesse analisar a alguma distância todos os acontecimentos. Ele nunca teve dúvidas do seu caminho e vai defender o nosso título mundial na Copa de 2018. Ele é o melhor treinador para esta equipe, tem a nossa total confiança e temos a certeza de que seguiremos entre os melhores do planeta", comentou o mandatário.

A seleção alemã volta a campo no dia 31 de agosto, quando enfrenta a Finlândia em amistoso na cidade de Mönchengladbach. Quatro dias depois, em 4 de setembro, a equipe estreia nas eliminatórias da Copa de 2018 diante da Noruega, em Oslo.

Um comentário:

  1. A seleção é excelente, grandes jogadores e a melhor do mundo atualmente mas tem algumas coisas chatas, como por exemplo o time ficar grande parte do jogo com a posse de bola, envolver o adversário mas oferecer pouco perigo de Gol. Outra coisa que tem que ser repensada: Esse treinador dar poucas oportunidades a jovens talentos como Sane e Schurlle, jogadores de muita qualidade e que poderiam fazer diferença no jogo contra a França, e que não entraram por teimosia do treinador em deixar Tomaz Muller atuando mesmo sem fazer nada pela seleção nessa Eurocopa. A entrada de Sane foi só nos minutos finais quando o jogo já estava perdido. Podolski continua sendo convocado, mas nunca é utilizado...

    ResponderExcluir