Calhanoglu, do Leverkusen, é suspenso por quatro meses pela Fifa e põe a culpa no pai



O meio-campista turco Hakan Calhanoglu, do Bayer Leverkusen, foi suspenso por 4 meses pela Fifa e está fora da atual edição da Bundesliga e da Liga dos Campeões, podendo retornar aos gramados apenas na próxima temporada. Ele também não poderá representar sua seleção nesse período de gancho.

Mas de onde vem essa punição?


Em 2011, quando ainda era menor de idade, o atleta atuava pelo Karlsruher, que hoje está na segunda divisão alemã, e acertou sua transferência para o Trabzonspor, da Turquia, assinando um pré-contrato. Calhanoglu, no entanto, acabou ignorando o documento assinado com o clube turco e foi para o Hamburgo, o que fez o Trabzonspor acionar a Fifa alegando quebra de contrato.

Naquela ocasião, a Fifa deu razão ao time da Turquia, mas o jogador e o Bayer Leverkusen entraram com recurso na CAS (Corte Arbitral do Esporte), que decidiu manter a decisão da entidade máxima do futebol, suspendendo o atleta por 4 meses.

"Nós lamentamos muito essa decisão, que é totalmente incompreensível para nós", disse Rudi Völler, diretor esportivo do Leverkusen. "É uma notícia horrível para Calhanoglu e para nós também. Apesar do Bayer não ter qualquer envolvimento com os eventos de 2011, nós também acabamos severamente punidos. Agora, jogaremos uma parte crucial da temporada sem um jogador de extrema importância", finalizou o dirigente.

Calhanoglu ainda terá que pagar multa de 100 mil dólares (R$ 312 mil) ao Trabzonspor. Ele culpou seu pai por toda essa polêmica. "Eu tinha 17 anos, era menor de idade. Meu pai chegou em casa depois de uma reunião com o clube turco e disse: 'Hakan, você tem que assinar o contrato'. Ele sabe que cometeu um grande erro, está triste demais com tudo isso. Ele é meu pai e sempre será, mas nunca mais vai interferir na minha carreira", disparou o meio-campista que é nascido na Alemanha, na cidade de Mannheim.
    Comente a matéria
    Comente pelo Facebook

0 comentários :

Postar um comentário