Ad Home

Últimas

Joachim Löw pode deixar a seleção alemã. Se ele sair, quais são os nomes cotados para assumir o time?

Antes da Copa do Mundo, o técnico Joachim Löw renovou seu contrato com a seleção alemã até o fim de 2022, quando termina o Mundial no Catar. E no dia da eliminação na Rússia diante da Coreia do Sul, na última quarta-feira, a DFB (Federação Alemã) confirmou que o comandante seguiria no cargo independente do resultado.

Mas aí veio a derrota e o vexame de não se classificar às oitavas de final. Foi o que bastou para que o panorama fosse alterado e uma possível saída do treinador começasse a ser cogitada.


A DFB quer a permanência de Löw, mas é o próprio técnico que pode optar pela quebra de contrato. E isso vamos saber nos próximos dias. "A direção vai fazer suas primeiras análises na próxima semana. Parto da ideia de que o técnico vai se expressar sobre seu futuro neste período", disse Reinhard Greidel, presidente da Federação.

"Precisamos de mudanças profundas. É o que os torcedores esperam", completou.

A tendência é que o técnico continue. Mas e se Joachim Löw resolver mesmo sair? A Federação Alemã tem um plano B? Lembrando que a Mannschaft volta a campo no começo de setembro, diante da França, na estreia da Liga das Nações, competição recém-criada pela Uefa e que vai substituir os jogos amistosos.

Veja alguns nomes cotados:


Thomas Schneider e Marcus Sorg atualmente são auxiliares de Löw na seleção e podem ser promovidos a treinador principal. Segundo a imprensa alemã, Sorg teria mais chances


Stefan Kuntz, técnico da seleção alemã sub-21, que vem se destacando na TV alemã como comentarista da Copa do Mundo


Miroslav Klose. Essa seria uma surpresa, até porque tem pouca experiência no cargo, mas seu nome é ventilado. O maior artilheiro das Copas fez parte da comissão técnica da Alemanha na Rússia e vai assumir o time sub-19 do Bayern em julho


Jürgen Klopp, treinador do Liverpool. O ex-Borussia Dortmund agrada imprensa, torcida e jogadores. Mas parece que ainda não está na pauta da DFB, apesar de todo apelo

Técnico estrangeiro? Isso é muito pouco provável

E para você, caro leitor? Löw deve sair? Se ele sair, quem assume? Comente!

12 comentários:

  1. Acho que Low merece uma segunda chance. Um treinador que em 7 competicoes, ganhou 2 titulos em 3 finais e chegou em outras 3 semifinais. So essa Copa foi um ponto fora da curva. Mas tem credito na minha opinião.

    Ele só sai se quiser mesmo, a DFB não vai demiti-lo.

    ResponderExcluir
  2. O Löw tem q ficar ele é um excepcional treinador, não devemos deixar a levar por um resultado drástico na copa,mas se ele sair que fique o Sorg ou venha o Klopp

    ResponderExcluir
  3. Álvaro Villa Campo29 de junho de 2018 18:31

    Não duvido da capacidade de Löw, entretanto fico preocupado se ainda existe motivação para continuar no comando da seleção, a renovação é inevitável, tanto do técnico, como dos jogadores, o projeto de conquista da copa do mundo iniciou depois da perda do título em 2002 e culminou com a conquista do mesmo em 2014, agora infelizmente outra fase tem que iniciar, os campeões do mundo já deram sua contribuição, em nenhum momento vi a Alemanha com sede do título, uma das melhores seleções de todos os tempos, Klopp é ótimo treinador, ambicioso e saberá renovar a Alemanha, isso foi feito na copa das confederações, com méritos e a conquista do título, não dar continuidade a esse projeto foi o maior erro, seremos eternamente gratos a Löw, por nos ter dado a quarta estrela, mas como tudo acaba na vida a mudança se faz necessária, basta mirarmos o exemplo de Philipp Lahm, se o projeto tivesse seguido o seu curso, não teríamos passado por tudo isso na Russia, certamente existem outras opiniões, e respeito todas elas, agora o mais importante é seguir em frente e superar esse momento difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa sua análise, penso que é por aí mesmo! Concordo que o Klopp seja um grande nome, mas temo que prefira continuar como treinador de clube, me parece mais vantajoso. Se o Löw não continuar, é mais provável que assuma outro profissional de menor prestígio do que o Klopp (as federações européias tem certas dificuldades em dispor dos grandes treinadores, eles, e penso que com razão, preferem os clubes!)

      Excluir
  4. Acho que o problema todo não é o treinador, a coisa toda foi estranha desde o começo do mundial e o último jogo foi de uma esquisitice que faz pensar: 1- A escalação cheia de alterações, em um jogo decisivo e onde em relação ao jogo anterior, necessitaria de uma única mudança (A entrada do Hummels) 2- A apatia e descoordenação em campo, sem levar perigo à um adversário fraquíssimo. Será normal as campeãs do mundo anteriores sairem na primeira fase de cada mundial sequente? Itália, Espanha e agora a Alemanha, não é no mínimo "curioso"? Sei lá pode soar a "teoria da conspiração", "choro de perdedor", "papo de butiquim", mas a Copa de 2014 foi disputada em um "caldo" de corrupção no Brasil e na FIFA sem precedentes, aliás há Copas passadas recentes (1998, 2002, 2010) muito discutíveis - com fatos estranhos e pouco explorados (para ficarem no passado e não discutidos). Não sei, há muitos interesses envolvidos que não aparecem ao público geral, acho que nos bastidores "passeiam as bruxas"... É como aquele ditado popular milenar: "Não acredito que existam bruxas, mas sei que existem bruxarias!". Já perdi muito tempo com o futebol, esta eliminação da Alemanha, na primeira fase, marcando somente 2 gols, perdendo para o México e para a Coréia do Sul é no mínimo suspeita... O que mudou em 6 meses, de 10 vitórias na eliminatória e mais de 40 gols marcados? Para um 0x2 para a Coréia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode parecer estranho, mas para afastar isso, basta vc analisar os jogos da alemanha no último ano, um futebolzinho medíocre, jogando com muita lentidão, no último amistoso a equipe empatou em casa com a arábia saudita, a qual poderia ter empatado no último lance. Ou seja, era claro que a alemanha não ia longe, o que surpreendeu foi a eliminação logo na primeira fase e para a coreia do sul. Já em relação à França em 2002 foi azar mesmo, o time dominou todas as partidas, perdeu uma infinidade de gols, e zidane se contundiu no mundial, o que abalou o grupo.

      Excluir
  5. Estava mesmo esperando alguém abordar isso, e sim é muito estranho, aliás teve a França em 2002, e em todos os casos as campeãs eliminadas apresentaram um futebol medíocre, mas é como tu disse, até parece que faz parte do pacote campeã, seja o campeão e se elimine na próxima.

    ResponderExcluir
  6. Klopp seria o melhor nome em caso de novo treinador, o cara é muito inteligente, sabe botar o time pra tocar e sair pro jogo com efetividade, e com certeza começando de agora teria 4 anos pra dar uma arrumada, e ter bolas de tirar caras que são ''medalhas'', e vai que o Gotze volta a jogar né..

    ResponderExcluir
  7. Para mim Low não sai. Deu um passo em falso na copa, mas ainda tem crédito.

    ResponderExcluir
  8. A Alemanha kaputt, como dizem os russos! Virou "babamanha". Ser elimimada na primeira fase, em um grupo com México, Suécia e Coréia do Sul, é difícil de explicar... Acho que a seleção alemã está entrando em um período (que deve ser longo) de ostracismo, igual aquele após 1990 (lembram das seleções das copas de 94 e 98 e das Euros de 2000 e 2004?). Olhem, bem organizados os pensamentos e com base nos fatos, não é difícil concluir: "Tá feia a coisa e pode piorar..." Por incrível que pareça o título de 2014 derrubou o futebol alemão - não é esquisito isto?

    ResponderExcluir
  9. Ele é um excelente técnico mas acho que ele só vai sair do comando da seleção após a Euro 2020 onde as chances de sofrer um vexame nas eliminatória é muito grande. Em setembro na liga das Nações ele vai repetir os mesmos erros da copa e convocar jogadores que estão em péssima fase como Ozil, Kedira, Muller , Gomez...mesmo assim vai permanecer na seleção até as eliminatórias para a Euro 2020.

    ResponderExcluir
  10. Não acho que a simples mudança de treinador vá solucionar os problemas da seleção alemã. É bem verdade que o atual treinador não conseguiu formar um grupo vencedor novamente em 2018, fez opções que se mostraram equivocadas, algumas bem evidentes aos olhos externos, mas não se pode atribuir o bisonho fracasso somente à este fator! A Alemanha sofre da limitação de outras grandes seleções, ou seja, do fato de não ter excelentes jogadores para todas as posições (e para as grandes, às que almejam títulos, esta ter que ser a qualidade exigida). Há (de fato) limitações ao futebol alemão neste sentido, assim como para Espanha, França, Argentina, Itália, Holanda. Vejam, somente o Brasil e é natural que seja assim, pelo tamanho e população do país, aliado ao fato da grande popularidade do futebol, permitem que haja profusão de jogadores (notem o número de bons jogadores espalhados pelo mundo, sem contar os que jogam no próprio país, onde se poderia montar outra boa seleção, talvez mais de uma, pois há ao menos 12 grandes clubes de futebol, de nível internacional, com mais de 80% de seus elencos com jogadores nacionais - coisa que não acontece em outros centros). O Brasil nesta copa, perdeu seus dois laterais titulares e mesmo assim mantém o padrão de jogo, sem praticamente nenhuma perda de rendimento. Outras seleções, sem tivessem tal perda, teriam certamente muita dificuldade. Penso que o fracasso alemão em 2018 está se limitando ao treinador, acho que há outros fatores que contribuíram para tal e não tenhamos ilusões, esta "ferida" demorará à cicatrizar, a mannschaft passará um período de reciclagem, sem títulos, depurando-se, ao final, levará um tempo para se reorganizar e se recuperar deste fiasco - sem precedentes em sua gloriosa e vitoriosa história futebolística. Me parece que a melhor capacidade de se reinventar, por tudo que já disse, é o Brasil, que em apenas um ciclo, após perder uma Copa em casa, sofrendo uma derrota em semi-final com um placar desastroso, consegue, na competição seguinte, ser candidato forte (o principal postulante) ao título mundial, ao que parece, bastante (bastante!) provável (talvez a França, possa dar ainda algum trabalho... Sempre a França!).

    ResponderExcluir