Todos em Dortmund estão decepcionados com a Uefa pelo tratamento dado ao atentado



Na terça-feira, três bombas explodiram junto ao ônibus do Borussia Dortmund que estava a caminho do Signal Iduna Park para o duelo diante do Monaco, pela Champions. Por conta do atentado - que tudo indica ser uma ação terrorista -, a Uefa decidiu adiar o jogo em apenas um dia. A partida aconteceu na quarta-feira e os franceses venceram por 3 a 2.

"Fomos tratados pela Uefa como se tivessem lançado uma lata contra nosso ônibus", reclamou o técnico Thomas Tuchel. "Só o tempo é importante para superar esse tipo de coisa. Os jogadores precisavam de, pelo menos, um dia a mais. Agora precisamos nos concentrar para chegarmos à semifinal", completou.

No incidente, o zagueiro Marc Bartra sofreu uma lesão no braço e precisou passar por cirurgia. Ele deve voltar aos gramados em cerca de um mês e sua situação deixou os outros atletas bem abalados. "Isso tudo que aconteceu nos dá uma sensação de impotência, que temos de continuar a funcionar e nada mais importa", comentou Tuchel.

"Eu tentei encorajar todos os meus atletas a levarem o jogo a sério, a pensar na partida, mas o futebol não é a coisa mais importante do mundo", finalizou o comandante do Borussia Dortmund.

E não foram só jogadores, comissão técnica e dirigentes do BVB que ficaram decepcionados com a Uefa neste grave episódio. Na tradicional "Muralha Amarela", setor do Signal Iduna Park que fica atrás de um dos gols, várias faixas e cartazes contra a entidade máxima do futebol europeu puderam ser vistas. "Você está de brincadeira? Fuck, Uefa!"
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários :

  1. E se acontecesse contra um Barcelona ou Real Madrid o tratamento seria o mesmo?? Provavelmente não! Faz tempo a UEFA não tolera o futebol alemão, talvez quando o presidente for um germânico aí sim!!


    Davi Queiroz - Aracoiaba - CEARÁ

    ResponderExcluir