Refugiados pedem autorização para jogar profissionalmente na Alemanha; são 42 mil

A DFB (Federação Alemã de Futebol) confirmou que recebeu cerca de 42 mil novos pedidos de estrangeiros que querem tirar a licença necessária para jogar profissionalmente no país - isso só nos últimos 12 meses. A esmagadora maioria dessas solicitações é de refugiados.


Depois de quase 900 mil pedidos de asilo na Alemanha, a DFB anunciou a criação de um projeto chamado "Futebol em Casa", que visa auxiliar os refugiados e a integração em clubes alemães, independente da divisão que disputam. Além de conselhos sobre como aprender a língua, a ideia é também ajudar os clubes a dar as boas-vindas aos recém-chegados.

A campanha foi apresentada nesta semana pela chanceler Angela Merkel, em Berlim. Além deste projeto, quase 3 mil pessoas participam de uma ação denominada "1 x 0 bem-vindo", que visa incentivar os clubes a recrutar refugiados.

Bakery Jatta, do Hamburgo, e Ousman Manneh (foto), do Werder Bremen, ambos de Gâmbia, são dois casos de refugiados no futebol alemão. Manneh, inclusive, já fez um gol na atual edição da Bundesliga.
    Comente a matéria
    Comente pelo Facebook

0 comentários :

Postar um comentário