Ad Home

Últimas

Bayern vence, mas é eliminado na semi da Champions novamente por um espanhol



Fim de linha para o Bayern de Munique na Champions League. E de novo a eliminação na semifinal aconteceu diante de uma equipe espanhola, pela terceira vez seguida, a exemplo das temporadas 2013/2014 (Real Madrid) e 2014/2015 (Barcelona). Nesta terça-feira, o time de Pep Guardiola até que jogou bem e venceu o Atlético de Madri por 2 a 1 na Allianz Arena, mas foi eliminado pelo gol que o rival marcou como visitante. No agregado, 2 a 2.

Aos Bávaros, resta agora a disputa da Bundesliga, onde o título pode ser confirmado no próximo final de semana diante do Ingolstadt, fora de casa, e a Copa da Alemanha. O adversário na decisão da Pokal em Berlim é o Borussia Dortmund, no dia 21 de maio.

A etapa inicial foi amplamente dominada pelo Bayern. O Atlético teve apenas duas oportunidades em chutes de longa distância do meia Gabi, ambas defendidas sem problemas por Manuel Neuer. Os anfitriões também arriscaram finalizações perigosas de fora com Vidal e Ribéry, mas as principais chances foram criadas em jogadas já dentro da área espanhola.

Aos 31 minutos, Alaba sofreu falta na entrada da área e Xabi Alonso cobrou para abrir o marcador, ainda contando com desvio mortal do zagueiro uruguaio Gimenez. Na sequência, o mesmo Gimenez cometeu pênalti sobre Martínez após cobrança de escanteio, mas Thomas Müller perdeu - o goleiro Oblak acertou o canto da batida e espalmou.

No segundo tempo, o Bayern seguiu pressionando o time visitante, que adiantou sua marcação e acertou um contra-ataque perfeito para empatar o duelo. Aos nove minutos, Fernando Torres lançou Griezmann em profundidade, o francês ficou cara a cara com Neuer e só escolheu o canto para chutar e balançar as redes.

Sem desistir e insistindo bastante, principalmente pelo lado esquerdo, a equipe alemã chegou ao segundo gol aos 29 minutos, com Lewandowski. Alaba cruzou na medida para Vidal, que ganhou de Filipe Luis no alto e deu assistência para o artilheiro polonês só cumprimentar para o gol vazio, na segunda trave.

Aos 39 minutos, Martínez cometeu falta em Fernando Torres fora da área, mas o árbitro marcou pênalti de forma equivocada. O próprio Torres cobrou e Neuer defendeu. Os minutos finais foram de pressão absoluta do Bayern, que parou em defesa de Oblak em finalização venenosa de Alaba e que ainda teve desvio na defesa. O paredão armado pela zaga do Atlético funcionou e evitou mais um gol dos donos da casa.

4 comentários:

  1. O Atlético jogou todo atrás, com o regulamento em baixo do braço. Este tipo de postura exige do adversário (no caso o Bayern) um algo a mais de qualidade, uma jogada diferenciada, um improviso, um lance genial, nesta hora tem que aparecer mais do que nunca - o craque, para quebrar o esquema defensivo. Infelizmente o Bayern e diga-se o futebol europeu em linhas gerais, não tem este tipo de jogador (não é muito da natureza do jogador europeu, esta improvisação...). Tem bons jogadores, sem dúvida, disciplinados, com alguma técnica, com excelente preparo físico, mas não tem o diferencial do sul-americano (notadamente brasileiros e argentinos); Sem a chave o europeu não consegue abrir a porta, fica batendo desesperado e de qualquer jeito nela! O sul-americano dá um jeitinho, arruma logo um arame e abre a porta (quase que naturalmente)! acontecer...

    ResponderExcluir